Ribeira encantada

Ao poeta Nicodemos Araújo Saudável ribeira, mel agreste sumo de orvalho e essências matinais trago no olhar o linho das nuvens e na boca sabores de luar. Vem, poeta, até este pomar vislumbrar este rio, este mar e o fogo que aqui irrompe no verão e o homem que em sua lida faz o lavrar do chão trabalho rústico de enxada e mão esforço e riqueza da nação. Esta ribeira é para nós um país de sonhos tão belo, tão diverso, original plantemos o companheirismo como árvores ao longo deste rio e assim seremos incomparáveis imbatíveis. Ribeira minha encantada gama de verde carnaubal em distante extensão murmúrios do vento celestial acariciando o coqueiral. Acaraú, meu Rio das Garças osso e carne em mim feito estrela – Sangue e Vida desta Ribeira.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Minha Personalidade INFP

Literatura e Escritores Cearenses