NICODEMOS ARAÚJO CENTENÁRIO

Que lado, poeta, é o lado de lá, não me dirás, em confiança? Carlos Drummond de Andrade Olá, poeta! Do lado de lá, entre nuvens, Fazendo ‘sem’ anos? Indiferente, com certeza, A essa bobagem de contar tempo... Mesmo porque, apenas sonhas, Sem cronologia, A inútil faina do dia-a-dia. Felizes aqueles cujos corpos jazem, Na úmida mesa, Tranqüilos-plácidos, Com os olhos cheios de natureza. Ser quase anônimo, na poeira cósmica, Ex-humano, exumado... Cumpramos o que somos, poeta. Eu aqui; você do lado de lá, Entre nuvens, fazendo ‘sem’ anos. VICENTE FREITAS 10.03.2005

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Minha Personalidade INFP

Literatura e Escritores Cearenses