Homenagem ao Poeta Mário Gomes

Na foto: Márcio Catunda e Mário Gomes Ação Gigantesca Mário Gomes Beijei a boca da noite E engoli milhões de estrelas. Fiquei iluminado. Bebi toda a água do oceano. Devorei as florestas. A Humanidade ajoelhou-se aos meus pés, Pensando que era a hora do Juízo Final. Apertei, com as mãos, a terra, Derretendo-a. As aves em sua totalidade, Voaram para o Além. Os animais caíram do abismo espacial. Dei uma gargalhada cínica E fui descansar na primeira nuvem Que passava naquele dia Em que o sol me olhava assustadoramente. Fui dormir o sono da eternidade. E me acordei mil anos depois, Por detrás do Universo.

Comentários

  1. sou um admirador de Mario Gomes, não só por suas poesias, mas ainda pelo homem que ele é. um homem que enfrentou os desamores do mundo sob forma de tortura física, a perda da mãe que era seu maior bem.
    até que um dia se entregou a loucura como forma de se proteger desse mundo.

    toda homenagem ao poeta é merecida.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Minha Personalidade INFP

Literatura e Escritores Cearenses