Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2010

CULTURA: Cada um mostra o que tem

Imagem
Ensaio de Lia, em Jericoacoara. Deleite-se: Encerrando a lista de ex-BBBs convocadas para posarem nuas, a polêmica Lia Khey teve a capa de sua edição da Playboy divulgada pelo blog Revista que amamos, especializado no conteúdo da publicação.

A ex-sister estampa a capa de junho e seu lançamento oficial aconteceu, terça-feira, dia 8. Lia foi fotografada em Jericoacoara, no Ceará, pelo fotógrafo Luis Crispino e a capa segue a proposta do ensaio, ao ar livre.

Assim como Cacau e Anamara, Lia também deixou o bumbum à mostra na capa da publicação.É isso aí...cada um mostra o que tem! Eu gostei, e você?

A VIDA

Imagem
A vida, Senhor Visconde, é um pisca-pisca. A gente nasce, isto é, começa a piscar. Quem pára de piscar, chegou ao fim, morreu. Piscar é abrir e fechar os olhos – viver é isso. É um dorme-e-acorda, dorme-e-acorda, até que dorme e não acorda mais. A vida das gentes neste mundo, senhor sabugo, é isso. Um rosário de piscadas. Cada pisco é um dia. Pisca e mama. Pisca e anda. Pisca e brinca. Pisca e estuda. Pisca e ama. Pisca e cria filhos. Pisca e geme os reumatismos. Por fim, pisca pela última vez e morre.
- E depois que morre – perguntou o Visconde.
- Depois que morre, vira hipótese. É ou não é?

Monteiro Lobato - trecho de Memórias de Emília.

O Menestrel

Imagem
Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se. E que companhia nem sempre significa segurança. Começa a aprender que beijos não são contratos e que presentes não são promessas.
Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

Aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.

Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo.

E aprende que, não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam… E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que se leva anos para construir confiança e apenas segundos para…

Insônias, delírios, pesadelos

Imagem
Insônias, delírios, pesadelos

O volume tem trinta narrativas. “Insônias” (um homem sem cabeça). “O porteiro” (um grande mentiroso). “Cara preta” (fala de um livro antigo). “Fauna e flora de Vila Ribamar” (terra de hienas e chacais). “Vertiginosamente abaixo” (“a vida é a patologia da matéria”, Goethe). “Tlon, Üqbar, Orbis Tertius” (do fundo remoto do corredor, o espelho nos espreitava, Jorge Luís Borges; escrito na Argentina). “Três meninas parecidas e outra quase igual” (biblioteca, mal-assombrada). “Horóscopo perpétuo” (lembra Vinícius, um signo: uma mulher). “Os stuxys” (lembra “Nossa fronteira ao sul”). “Delírios” (O Corvo? Alan Poe? Escrito em Copenhague). Seguem-se alguns mini-contos: “Historieta” (prodígios e milagres). “Quarta-feira à noite” (sono sem sonhos), “A metamorfose” (lembra Kafka). “Perguntas sem respostas” (Capitu e Bentinho, dúvida cruel). “A coisa” (anormal, aberrante), “Sonhos” (poema em prosa; prosa em poesia). “Conto redondo” (artefatos literários). “O vampir…

Poemas para as Mães

Imagem
Para Sempre Carlos Drummond de Andrade Por que Deus permite que as mães vão-se embora? Mãe não tem limite, é tempo sem hora, luz que não apaga quando sopra o vento e chuva desaba, veludo escondido na pele enrugada, água pura, ar puro, puro pensamento. Morrer acontece com o que é breve e passa sem deixar vestígio. Mãe, na sua graça, é eternidade. Por que Deus se lembra – mistério profundo – de tirá-la um dia? Fosse eu Rei do Mundo, baixava uma lei: Mãe não morre nunca, mãe ficará sempre junto de seu filho e ele, velho embora, será pequenino feito grão de milho. A Minha Mãe Pe. Antônio Thomaz Quer viva alegre, quer me punjam dores, Jamais esqueço a minha Mãe querida, Pois trago dentro em mim como esculpida A imagem dela ornada de fulgores. E de contínuo em místicos ardores Se eleva aos céus minha alma enternecida, Pedindo a Deus que lhe prolongue a vida E lhe conceda sempre os seus favores. E quando eu vou rezar …

Cego Aderaldo

Imagem
(Aderaldo Ferreira de Araújo)