Devaneio


Por trás do chumbo das nuvens,
Redonda e cheia, a lua – se esconde.
Estrelas distantes não sabem da lua,
Não sabem de mim,
Não sabem de ti…
Não sabem da pequena Terra,
Esquecido mundo,
Pai e mãe da tua beleza.
Não sabem dos teus lábios.
Tua volúpia, teu sexo…
Dos teus olhos azuis, lágrimas da terra,
Das paixões tempestuosas,
Nem dos dramas que encerram.
E eu, agora, aquém do teu corpo,
Tuas curvas e voltas,
Comtemplando a lua pálida, no céu…
Fico inquieto,
Porque – só na Terra – tua beleza.
Vicente Freitas

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Minha Personalidade INFP

Literatura e Escritores Cearenses