O “assassinato” da Língua Portuguesa

Pois bem, eu não sou professora de língua portuguesa, muito menos formada em Letras ou algo que se pareça, e sei que os textos do meu blog têm erros, afinal “Herrar é umano”, mas nos últimos tempos tenho ficado para lá de chocada com os erros que tenho visto de língua portuguesa na internet.

Sim... Infelizmente nem todos têm acesso a melhor escola, ao melhor ensino, mas o que eu realmente tenho visto ultrapassa os limites.

Dos mais de 100 erros que encontrei decidi selecionar apenas 25, que foram os que considerei mais bizarros... A forma correta é a que se encontra dentro de parênteses.
Observem a lista:

Acontese (acontece)
Almenos (ao menos)
Asterístico (asterisco)
Cardaço (cadarço)
Compania (companhia)
Concertar (consertar)
Concerteza / Concertesa (com certeza)
Conhencidencia (coincidência)
Derrepente (de repente)
Discuberta (descoberta)
Discurssão (discussão)
Fasio (fácil)
Figo (fígado)
Iorgute (iogurte)
Menas (menos)
Mendingo (mendigo) Milhonário (milionário)
Mortandela (mortadela)
Nessessário (necessário)
Picina (piscina)
Saucixa (salsicha)
Seru mano (ser humano)
Sombrancelha (sobrancelha)
Trabisseiro (travesseiro) Voçe (você)

E então? Ainda restam dúvidas de que a nossa Língua materna tem sido vítima de tentativas em massa de assassinato?


Irina Sopas ® 2011
___________________________
Com esta resenha encerramos, hoje, a publicação da série de artigos da escritora Irina Sopas. Agradecemos, sobremaneira, sua colaboração e esperamos, em  breve,  dar continuidade à publicação de novos escritos, de Irina.  Amanhã, domingo, iniciaremos uma nova série. Desta vez, com a escritora e articulista Andrea Trompczynski. Leia, comente, participe! 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Minha Personalidade INFP

Literatura e Escritores Cearenses