À minha puta ruiva


não consigo entender as estrelas
o sistema solar existe ?
vivo de teimoso, tei-mo-so
coisa que não agradeço ao capeta.
o caminho é tortuoso
digo, da arte, do caos à arte.
desejo a puta, as putas
depressão à coisa séria.
nem todos os rinocerontes
têm chifres. afundei-me na lama
e o tempo passou há muito
pelas minhas reservas de siso.
A minha página é demasiado
branca, ‘as impurezas do branco’
e a tinta é demasiado densa.
hoje não quis escrever
aquilo que à noite sonhara.
contudo:
a minha puta ruiva
a minha puta uiva.
Vicente Freitas

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Minha Personalidade INFP

Literatura e Escritores Cearenses