Corrupção?! Que novidade!

Desvio de R$ 30 milhões é apurado pela PF no Ceará. O esquema funcionaria dentro de órgãos públicos estaduais e prefeituras municipais.

A Polícia Federal (PF) executou mandado de busca e apreensão ontem no gabinete da 1ª secretaria da Assembleia Legislativa, ocupado pelo deputado estadual José Albuquerque (PSB), principal interlocutor do governador Cid Gomes (PSB), pré-candidato à reeleição.

O mandato de busca e apreensão faz parte da Operação Goliath, deflagrada ontem pela PF, que investiga um esquema de corrupção que estaria desviando recursos públicos em órgãos administrativos do Governo do Estado e em cerca de dez prefeituras cearenses. Na ação de ontem, três pessoas foram presas.

Um dos presos é o empresário Jânio Falcão do Carmo, que é ex-assessor parlamentar de Albuquerque e, pelo menos até janeiro deste ano, esteve lotado no gabinete do deputado estadual Marcos Cals (PSDB), recém lançado na disputa ao Palácio Iracema - contra Cid Gomes.

Jânio é dono da empresa Litorânea Rent a Car, uma das pessoas jurídicas suspeitas de envolvimento em esquema de corrupção que teria desviado, desde 2007, um montante de cerca de R$ 30 milhões entre verbas federais e estaduais – segundo estimativa da PF. Os nomes de outras empresas envolvidas não foram divulgados.

Maria Lucia Ramos Martins, funcionária da 1ª secretaria da Assembleia, também foi presa acusada de envolvimento no esquema. Documentos pessoais de Maria foram apreendidos no gabinete da 1ª secretaria.

O empresário Mirgon de Oliveira Outeiral também foi preso pela Operação Goliath.No total, a polícia buscou cumprir ontem cinco mandados de prisão e nove mandados de busca e apreensão.

Dois dos mandados de prisão não puderam ser executados porque as pessoas não foram localizadas e, a partir de então, são consideradas fugitivas pela PF. Os nomes dos fugitivos não foram divulgados.

Pedro Alves
pedroalves@opovo.com.br

Comentários

  1. Não acredito que todos esses crimes que são investigados pela PF tenha provas sustentáveis na Justiça,e, que boa parta das investigações são mais para produzir mídia.É preciso que o Minstério Público Federal tenha mais reponsabilidades e quando houver essas investigações, o investigado tenha o direito de ser ouvido primeiramente dentro da Lei.Nem sempre as ações da PF estão dentro das normas legais e da ética, talvez, este não seja o caso.Mas quem vai dá a palavra final é a Justiça,porque se esta prende,é também quem manda soltar e indenizar pelos erros cometidos.Corrupção é crime,sim,mas as investigações precisam serem feitas com inteligencia e provas cabais,e,não com sensacionalismo na imprensa em momentos pre-leitorais.

    ResponderExcluir
  2. Concordo, plenamente, com o seu ponto de vista, Alaercio. Obrigado por participar do blog.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Minha Personalidade INFP

Literatura e Escritores Cearenses