Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2011

Biblioteca Comunitária João Rodrigues de Matos

Imagem
"Um País se faz com Homens e Livros" (Monteiro Lobato)  
Por muitos anos o Prof. Francisco Assis Mattos manteve seus livros como objeto de adoração, expostos em muitas estantes de sua biblioteca particular.
Confessa que tinha ciúmes da sua vasta coleção com cerca de 2.000 (dois mil) exemplares bem cuidada e protegida pelo meu ameaçador "não os tire do lugar".
Livros conservados como um tesouro intocável! 

A certa "altura do campeonato", começou a refletir sobre o motivo do desinteresse das pessoas pela leitura, em especial, os jovens. Então, por este motivo, tomou a feliz iniciativa e fundou a em 10 de junho de 2006 a Biblioteca Comunitária João Rodrigues de Mattos, em retribuição ao reconhecimento ao município de Itarema-Ce, que adotou-o como filho e cidadão honorário e libertou seu tesouro literário da "prisão" de suas estantes. Passou a emprestar seus livros a um, a outro, fez “marketing" das obras que lia e assim foi disseminando a cultur…

Escritores

Imagem
Eu ontem folheava um livro quando me flagrei num prazer quase sexual: eu tocava a capa, deslizava os dedos sobre a borda, cheirava as páginas, deliciando-me, não só com a voz do autor, mas com todas as sensações que eu podia extrair daquele contato. E percebi: tenho uma tara pela literatura. E pelos autores. É ainda pior, sejam homens ou mulheres, sou uma bissexual da literatura, tenho tara por todos eles. Quando gosto de um livro, fico obcecada por ele. Quero saber quem são todos os que trabalharam nele, o que fazem, quem diagramou o livro, e como, como foi feita a edição, quanto tempo demorou para ser escrito, curiosidades sobre o autor, e ontem, chamou minha atenção até mesmo o talento do autor da orelha.
Acima de tudo o que posso amar, acima mesmo dos livros, estão os escritores. Ah, os escritores povoam meus sonhos. São pessoas mais elaboradas do que as outras. Dizem frases escritas, dizem frases de livros. Já não posso mais ter amigos comuns, são tão boring! Só quero amigos escri…

Realizado I Encontro de Escritores do Vale do Acaraú

Imagem
Poetas, memorialistas e pesquisadores naturais da região do Baixo Acaraú receberam na última quarta-feira (22 de junho) o Troféu Nicodemos Araújo, pelo reconhecimento aos relevantes serviços prestados à cultura da região no I Encontro de Escritores do Vale do Acaraú. O evento foi promovido pela Prefeitura Municipal de Acaraú, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo. O grande homenageado da solenidade foi o poeta e historiador belacruzense Nicodemos Araújo (1905-1999), que dispõe de uma vasta obra: poesia, teatro, história e genealogia. Exposição com acervo bibliográfico, medalhas condecorativas e fotografias ficaram expostas nos corredores da Escola Estadual Marta Maria Giffoni, no bairro Mons. Edson Magalhães, em Acaraú.

Receberam o Troféu Nicodemos Araújo as seguintes personalidades: o professor e escritor Dimas Carvalho (neto de Nicodemos Araújo); o bispo de Limoeiro do Norte, Dom Edmilson da Cruz (natural de Aranaú, distrito de Acaraú); o pesquisador acarauense Lucivan Rios (…

O Benfeitor

Imagem
A primeira vez que li A Metamorfose, de Franz Kafka (deveria ser redundância ter que citar o nome do autor de obras como esta), eu tinha treze anos e, claro, em minha mente infantil o que chamou a atenção não era todo o drama psicológico, mas o fato de se transformar em barata. Um homem? Pensei: Kafka é um bobo. Quando começaram os anúncios desse novo reality show da ABC, lembrei daquele pensamento. Sentia uma espécie de horror e prazer ao ter a oportunidade de assistir, em cores e stereo sound à prova definitiva e gravada de que um ser humano pode sim transformar-se em algo tão repugnante como a barata do livro. Daquelas cascudas, gigantesca. E seu nome é Mark Cuban, o benfeitor.
Ele é um bilionário de 46 anos do Internet Business. Jeans e camiseta, bonitão, fortuna comparável à de Donald Trump antes dos problemas com os cassinos. Teve a idéia desta competição entre dezesseis coitados (impossível não sentir pena) por um milhão de dólares porque achou que "seria divertido".  O…

A Classe Média (ou: “A Culpa é do Cony”)

Imagem
Basicamente, existem três classes distintas de pessoas: os Pobres, os Ricos e a Classe Média. Para fins de estudo, desprezo os graus de variação existentes entre cada uma delas. Não, não são apenas classes econômicas. São classes de pessoas. Castas, como as indianas. E também não, a Classe Média não está extinta como foi anunciado no noticiário. Ela e seu Espírito Mediano reinarão para todo o sempre.

A Classe de Pessoas "Pobre" é de agradável convívio, no mínimo, divertida. São movidos pelas necessidades básicas e, a elas satisfazendo, alegram-se facilmente. A Classe de Pessoas "Rica" já não vive de necessidades, conhece-se mais e é a ponta da evolução: pode viver plenamente sua capacidade cerebral, já que os neurônios não precisam mais se concentrar na busca do alimento, moradia, vestes ou em se poderá pagar aquela viagem para a Itália em doze vezes no cartão. É onde todos devemos chegar um dia, após muitas vidas de sofrimento, para finalmente usufruir das delícias…

Qintana e seus quintanares

Imagem
PROJETO DE PREFÁCIO
Sábias agudezas... refinamentos...
- não!
Nada disso encontrarás aqui.
Um poema não é para te distraíres
como com essas imagens mutantes de caleidoscópios.
Um poema não é quando te deténs para apreciar um detalhe
Um poema não é também quando paras no fim,
porque um verdadeiro poema continua sempre...
Um poema que não te ajude a viver e não saiba preparar-te para a morte
não tem sentido: é um pobre chocalho de palavras.
Mario Quintana
DO AMOROSO ESQUECIMENTO

Eu agora - que desfecho!
Já nem penso mais em ti...
Mas será que nunca deixo
De lembrar que te esqueci?

Mario Quintana - Espelho Mágico
AH! OS RELÓGIOS

Amigos, não consultem os relógios
quando um dia eu me for de vossas vidas
em seus fúteis problemas tão perdidas
que até parecem mais uns necrológios...

Porque o tempo é uma invenção da morte:
não o conhece a vida - a verdadeira -
em que basta um momento de poesia
para nos dar a eternidade inteira.

Inteira, sim, porque essa vida eterna
somente por si mesma é dividida: